Karla Martins

BLOG

Fica atualizado sobre as últimas novidades e tendências do LinkedIn e gestão de carreira.

12 dicas para trabalhar por conta própria

12 dicas para quem quer trabalhar por conta própria

Karla Martins

03/12/2019

No Responses

Trabalhar por conta própria pode ser questão de opção ou de necessidade. Há pessoas que parecem ter nascido com essa resolução tomada. Outras decidem deixar um emprego estável para ter o seu próprio negócio. E há ainda quem tome esta decisão em função da dificuldade de recolocação no mercado.

Seja qual for o caminho que leve à decisão de trabalhar de forma independente, a preparação é fundamental.

Neste artigo reuni 12 dicas para ajudá-lo a iniciar a sua carreira como consultor, empreendedor, coach ou seja qual for a forma que você deseja de trabalhar por sua conta.

1 – Descubra se você tem o Perfil 

Ser o seu próprio patrão é o sonho de muitas pessoas. Nada como ter o controle do seu tempo e fazer o que mais gosta, sem falar que o retorno financeiro pode ser bem maior! 

Por outro lado, trabalhar por conta própria implica risco e uma dose extra de responsabilidade.

Quem é empreendedor, freelancer ou profissional independente acumula funções, como administrar as finanças e buscar clientes. Além disso, os rendimentos são variáveis e não se tem benefícios como 13º salário, seguro saúde e férias remuneradas.

Antes de decidir deixar o seu emprego, reflita se você tem o perfil necessário para assumir uma carreira independente ou iniciar um negócio. Não são todas as pessoas que têm este perfil e não há nada de mal nisto desde que você tenha a segurança de que não vai desistir logo no primeiro obstáculo.

2 – Encontre o Nicho Ideal

Mark Schaefer, em seu livro Known, faz a distinção entre “paixão” e “interesse sustentável”.

Por exemplo, quando eu era menina queria ser veterinária, até que um dia descobri que uma das funções do meu trabalho seria sacrificar animais em determinadas circunstâncias. Meu sonho de ser veterinária terminou naquele momento. Hoje tenho dois cães e apoio uma instituição de proteção a animais abandonados.

Interesse sustentável significa que você gosta o suficiente da área escolhida a fim de manter-se nela por longos anos, mas não necessariamente é uma paixão. Além disso, o nicho escolhido deve ter potencial que garanta o retorno financeiro.

3 – Tenha uma Reserva Financeira

Alguns negócios exigirão um investimento inicial mas, mesmo que não seja esse o seu caso, esteja preparado para os primeiros tempos enquanto o retorno financeiro não chega.

Eu aconselho a guardar dinheiro suficiente para para pagar as suas despesas pessoais pelo período de 6 meses a 1 ano. Dessa forma terá a segurança de que precisa para se dedicar ao negócio até que os redimentos comecem a aparecer.

12 dicas para trabalhar por conta própria

4 – Tenha um Plano de Ação

Antes de mais nada, pesquise o seu mercado. Em seguida faça um plano com todos os passos que precisará dar para alcançar os seus objetivos. Inicie por um plano anual com as metas gerais e depois faça o plano trimestral mais detalhado. 

Ter um plano de ação irá ajudá-lo a saber quais recursos serão necessários para concretizar as suas metas e a avaliar os resultados ao final de cada período. Por exemplo, se ao final do primeiro trimestre as coisas não correram como desejado você poderá aferir as causas e ajustar o plano para o trimestre seguinte. 

5 – Organização e Disciplina

Juntei estes 2 tópicos em um pois eles estão intimamente relacionados. Quem trabalha por conta própria não tem gerente, será você mesmo a definir as suas tarefas e os prazos de entrega.

Eu conheci uma profissional brilhante, com uma carteira de clientes fabulosa, mas que pecava pela desorganização, o que colocava em risco o negócio. Depois que encontrou pessoas para ajudá-la com a gestão da empresa, tudo passou a funcionar melhor.

Outro fator importante é a disciplina. Não é porque você trabalha em home office que poderá acordar ao meio dia. Lembre-se que você será o seu próprio chefe e precisará se auto motivar de modo a cumprir as metas e deixar os clientes satisfeitos. 

6 – Aprenda a Gerir o seu Tempo

Ser produtivo é diferente de estar sempre ocupado. Defina as prioridades e reserve janelas de tempo na sua semana para cuidar dos projetos que garantirão a sustentabilidade do negócio.

Eu, por exemplo, reservo as manhãs para escrever conteúdos, preparar aulas e desenvolver os projetos de médio e longo prazos. Na parte da tarde, atendo aos cliente e cuido das questões do dia a dia, como pagar contas e responder a e-mails. Para mim funciona bem desta forma, mas você pode estabelecer a rotina que considerar mais adequada para si.

A minha dica de ouro para garantir a sua produtividade ao trabalhar por conta própria é limitar o acesso às redes sociais.

Eu costumo colocar o smartphone no modo avião quando preciso fazer uma tarefa que exige maior concentração para evitar a tentação de olhar as notificações. Que tal experimentar esse método?

gestão do tempo

7 – Defina o seu Local de Trabalho

Eu trabalho bem em home office pois consigo estabelecer e cumprir uma rotina profissional sem precisar sair de casa. Além disso, gosto de trabalhar sozinha e sou mais produtiva desta forma.

Mas se você prefere ter a rotina de ir para o trabalho todos os dias, ou se o seu negócio exige um ponto comercial, coloque esta despesa no seu plano de negócios. Outra opção é trabalhar em um co-work, onde terá toda a infraestrutura necessária e manterá contacto com outras pessoas. 

Se optar pelo home office, reserve um espaço só para trabalhar e avise aos familiares que você não estará disponível o tempo todo só porque está em casa. Estabelecer limites é fundamental para manter o seu foco e a sua produtividade.

8 – Tenha um Propósito

Ser profissional independente, freelancer ou empreendedor não é somente ter mais liberdade e maiores ganhos financeiros.

Quando temos um propósito as dificuldades são enfrentadas com melhor disposição pois sabemos que o nosso trabalho irá ajudar outras pessoas a solucionarem os seus problemas. O propósito é a chama que nos mantém confiantes e motivados seja qual for a circunstância. 

9 – Posicione-se no Mercado

Ninguém compra ou faz negócios com quem não confia. Será necessário posicionar a sua marca de forma que você, ou a sua empresa, passe a ser reconhecido por aquilo que faz.

Para que o cliente escolha a si, e não ao seu concorrente, será necessário se destacar na multidão. O que você tem que ninguém mais tem? Pode ser um atendimento especial, a entrega imediata ou algo na sua personalidade com o qual as pessoas se identificam.

No meu caso, o feedback que tenho dos clientes é de que eu ensino a usar o LinkedIn de uma forma leve, tornando a ferramenta mais interessante e fácil de usar no dia a dia.

10 – Nutra os Relacionamentos

A indicação ainda é uma das melhores formas de chegarmos às pessoas certas, por isso é tão importante nutrir os relacionamentos. Nada mais chato do que aquela pessoa que só nos procura quando precisa de ajuda.

E lembre-se, networking é a arte de primeiro dar para depois pedir. Quem vai com muita sede ao pote pode perder boas oportunidades. Primeiro estabeleça a confiança mútua para depois partir para uma proposta de negócio ou de parceria.

Convide um antigo colega para almoçar, marque um café com alguém com quem tenha interesses profissionais em comum. Além de abrir portas para futuras oportunidades, você desfrutará de momentos agraváveis com pessoas interessantes.

networking

11 – Seja Persistente

Outro dia eu li que a persistência é mais importante do que a genialidade. Você pode ainda não saber tudo sobre o seu negócio mas, se mantiver o foco e trabalhar com afinco na direção do seu objetivo, ninguém poderá detê-lo. 

Isso não quer dizer que você vai acertar sempre. A cada dificuldade que surge, analise a situação a fim de perceber o que precisa ser alterado.

12 – Produza Conteúdos

A produção de conteúdos ajuda a tornar a sua marca (pessoal ou corporativa) conhecida, dá credibilidade ao seu negócio e ajuda a conduzir o potencial cliente até o momento da compra.

O bom conteúdo é aquele que vai de encontro aos interesses do seu público alvo, sem tentar vender logo de cara. Pode ser um post de blog como este, um vídeo, podcast, fotografia ou infográfico. Criar a sua audiência e nutri-la com bons conteúdos úteis tornará a sua marca memorável aos olhos de clientes em potencial. Mesmo que a compra não ocorra no momento, poderá haver uma indicação do produto/serviço para um amigo ou familiar.

A produção de conteúdos tem tudo a ver com o posicionamento no mercado, sobre o qual falei anteriormente. É um trabalho que exige estratégia, consistência e regularidade para dar resultados, mas você pode avançar por etapas.

Quando eu comecei a produzir conteúdos, escolhi o LinkedIn como a minha rede social principal, afinal sou especialista no assunto. Aos poucos ampliei a minha estratégia de comunicação para outras redes sociais e agora tenho também o blog.

Conclusão

Resumindo, trabalhar por conta própria é uma decisão que exige, antes de mais nada, reflexão. Em seguida será a hora de colocar as ideias no papel, desenvolvê-las e, finalmente, partir para a ação.

O que achou dessas 12 dicas? Tem mais alguma sugestão?

Caso tenha alguma dúvida sobre o conteúdo deste post, ou queira saber como posso ajudar a impulsionar a sua carreira, ou o seu negócio, com a boa utilização do LinkedIn, fale comigo.

Procura algo?

Redes Sociais

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site.

Fica por dentro das novidades!

Faça parte da minha Newsletter